Capítulo 24

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Capítulo 24

Mensagem por Admin em 16/4/2010, 2:18 pm

1. Cinco dias depois, desceu o sumo sacerdote Ananias com alguns anciãos e Tertulo, advogado. Compareceram eles ante o governador para acusar Paulo.
2. Este foi citado e Tertulo começou a acusá-lo nestes termos: Graças a ti nós gozamos de paz, e pela tua providência se têm corrigido muitos abusos em nossa nação.
3. Nós o reconhecemos em todo o tempo e lugar, excelentíssimo Félix, com toda a gratidão.
4. Mas, para não te enfadar por mais tempo, rogo-te que, na tua bondade, nos ouças por um momento.
5. Encontramos este homem, uma peste, um indivíduo que fomenta discórdia entre os judeus no mundo inteiro. É um dos líderes da seita dos nazarenos.
6. Tentou mesmo profanar o templo. Nós, porém, o prendemos.
7. (Quisemos julgá-lo segundo a nossa lei, mas, sobrevindo o tribuno Lísias, no-lo tirou das mãos com grande violência, ordenando que os seus acusadores comparecessem diante de ti.)
8. Tu mesmo, interrogando-o, poderás verificar todas essas coisas de que nós o acusamos.
9. Os judeus apoiaram o advogado, confirmando que as coisas de fato eram assim.
10. Depois disso, a um sinal do governador, Paulo respondeu: Sabendo eu que há muitos anos és governador desta nação, é com confiança que farei a minha defesa.
11. Podes verificar que não há mais de doze dias que eu subi a Jerusalém para fazer minhas devoções.
12. Não me acharam disputando com alguém, nem amotinando o povo, quer no templo, quer nas sinagogas, ou na cidade.
13. Nem tampouco te podem provar as coisas de que agora me acusam.
14. Reconheço na tua presença que, segundo a doutrina que eles chamam de sectária, sirvo a Deus de nossos pais, crendo em todas as coisas que estão escritas na lei e nos profetas.
15. Tenho esperança em Deus, como também eles esperam, de que há de haver a ressurreição dos justos e dos pecadores.
16. Por isso, procuro ter sempre sem mácula a minha consciência diante de Deus e dos homens.
17. Depois de muitos anos (de ausência) vim trazer à minha nação esmolas e oferendas (rituais).
18. Nesta ocasião, acharam-me no templo, depois de uma purificação, sem aglomeração e sem tumulto.
19. Viram-me ali uns judeus vindos da Ásia, e estes é que deviam comparecer diante de ti e me acusar, se tivessem alguma queixa contra mim.
20. Ou digam estes aqui que crime terão achado em mim, quando eu compareci diante do Grande Conselho.
21. A não ser esta única frase que proferi em voz alta no meio deles: Por causa da ressurreição dos mortos é que sou julgado hoje diante de vós!
22. Félix conhecia bem esta religião e, adiando a questão, disse: Quando descer o tribuno Lísias, então examinarei a fundo a vossa questão.
23. Ordenou ao centurião que o guardasse e o tratasse com brandura, sem proibir que os seus o servissem.
24. Passados que foram alguns dias, veio Félix com sua mulher Drusila, que era judia. Chamou Paulo e ouvia-o falar da fé em Jesus Cristo.
25. Mas, como Paulo lhe falasse sobre a justiça, a castidade e o juízo futuro, Félix, todo atemorizado, disse-lhe: Por ora, podes retirar-te. Na primeira ocasião, chamar-te-ei.
26. Esperava outrossim, ao mesmo tempo, que Paulo lhe desse algum dinheiro, pelo que o mandava chamar com freqüência e se entretinha com ele.
27. Decorridos dois anos, Félix teve por sucessor a Pórcio Festo. Querendo, porém, agradar aos judeus, deixou Paulo na prisão.

_________________
Mauro Jr.
Administrador do Fórum Catequizando
www.catequizando.wordpress.com
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 540
Data de inscrição : 12/04/2010
Idade : 33
Localização : Teresópolis

http://www.catequizando.wordpress.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum